ABrasOFFA

Está com vagas abertas para Estagiários em diversas áreas. Possui Convênios com diversas Universidades da Baixada Santista, basta ligar para 13-3235-1122 e agendar um horário.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Brincadeira levada a sério

Na quarta-feira (27), aconteceu na sede da ABrasOFFA, o último treinamento da equipe antes do Circuito Brasil FestInFolk - evento de folclore que vai acontecer entre os dias 23 e 28 de agosto no Guarujá. Durante o encontro, os voluntários aprenderam técnicas que serão usadas para receber os grupos folclóricos que irão chegar no Brasil, em breve, para o festival. Além disso, os amarelinhos aproveitaram a oportunidade para desenvolver novas maneiras de lidar com as crianças do projeto Paz na Ponta do Giz.

Luddy Gomes de Carvalho
A nova voluntária da entidade Luddy Gomes de Carvalho, estudante de Turismo e recreacionista, compartilhou sua experiência com a equipe, ensinando técnicas de pintura facial, relaxamento do corpo, brincadeiras, dinâmicas - tudo para que possa ser aplicado em pessoas de várias idades.

Antes da prática, os reunidos discutiram sobre formas positivas de  lidar com crianças que vivem em situação de vulnerabilidade social, como é o caso das que habitam o entorno do Mercado Municipal de Santos, principal público do projeto Paz na Ponta do Giz. 

Os voluntários menos experientes acabam sendo confrontados com realidades diferentes das suas. Um exemplo é saber o que dizer quando as crianças se abrem para contar problemas da sua família. "A intenção é levar um momento de paz para aqueles pequenos, então penso que seja melhor escutar o que eles tem a dizer, mas não dar nenhuma opinião sobre aquilo, mesmo que seja difícil de aguentar. O melhor a fazer é distraí-los com as brincadeiras e deixar que eles tenham momentos de alegria, apesar de tudo", comentou a amarelinha Edvânia Felix. 

Fernanda Fagundes e Natália Goes
O debate também trouxe a tona uma verdade importante: "personalidade não é uma questão de padrão social" - ensinou a professora Helena Lourenço - "Seja pobre, seja rica, a criança gosta de dar sua opinião e vai te criticar se não gostar de algo", completou.  "Brigas entre elas é um indicador deste fato. Como resolver esse tipo de conflito?", questionou a voluntária Dilana Aragão.  Entre as conclusões que todos chegaram, uma delas foi apontada por Luddy: segundo minha vivência como monitora, o melhor a fazer é separar a briga, não dar razão para ninguém e convencê-las a voltar a brincar". 

No final, os voluntários se divertiram pintando uns aos outros e interagindo com dinâmicas de raciocínio lógico, entre outras. "O que você levaria para uma ilha deserta?"  Risadas não faltaram !! 

Luddy, Suellen, Ana Paula e Fernanda

Professora Helena e Ana Paula




 



Um comentário:

  1. Adorei tudo, além de me divertir, aprendi bastante ! É muito bom fazer parte da AbrasOffa !
    bjos pra vcs ! E até a próxima.

    ResponderExcluir